Procura-se o post sobre caixas de papelão!

“A construção da marca é um processo importante e exaustivo, mas o resultado é uma realização. A marca impressa num produto materializa. Fica claro na emoção de toda equipe ao receber o produto” 

Fabio Steinecke – Co-founder na Ages Bioactive

Anos atrás, navegando pelo Linkedin, me deparei com um post de um homem que acabara de receber caixas com os primeiros cadernos da sua nova empresa. Ele fazia um paralelo sobre a emoção de abrir aquelas caixas com o dia em que fechava as caixas para devolver o escritório da sua última empresa.

Nos dois casos eram caixas, mas as emoções eram completamente diferentes.

Semanas atrás me deparei com um post do Roberto Saloutti, CEO do BTG Pactual, com uma foto de 5 lápis diferentes. Os lápis, com diferentes versões da logomarca, simbolizavam os 15 anos que Jerckns Cruz, sócio do BTG Pactual passou no banco.

Esse post de Jerckns me fez lembrar do post sobre as caixas.

Queria muito reler o post e me aprofundar um pouco mais sobre o que pode simbolizar um brinde para a pessoa que encomenda o brinde. Estava falando com o meu amigo Rafael Eberhardt, sócio da Maxeb, quando esse tema voltou à minha mente e o Rafael fez o comentário abaixo sobre os blocos adesivados que fez com a Unity para a última Abup:

“Tínhamos acabado de repaginar a marca. Ver as roupas estendidas em um varal me fez lembrar da história da empresa até esse momento, desde meu avô até a repaginação da marca. O nome e a personalidade do meu avô Max continuam na empresa e a nova marca leva um pouco da minha renovação. Os postit conseguem contar tudo isso em pequenos pedaços de papel”

A emoção de uma equipe que está começando uma nova jornada, 15 anos de história contados em uma foto de 5 lápis, uma história de 55 anos que passa de um avô até um neto, de geração em geração, a emoção de um empreendedor ao receber as caixas com os cadernos da sua nova empresa pouco tempo depois de ter fechado uma outra empresa. Quatro historias contadas por brindes.

Para realmente finalizar esse artigo, preciso encontrar o empreendedor que recebeu seus cadernos e preciso da ajuda de vocês. Se alguém o conhecer, coloque ele em contato comigo. Queremos saber o que ele sentiu ao receber os cadernos. Precisamos saber como ele se sente ao colocar as mãos nesses cadernos hoje em dia.

O que posso dizer com certeza, mesmo sem poder terminar esse artigo, é que os brindes carregam histórias de pessoas e empresas. Nossa preocupação, muitas vezes, é parecermos mais rápidos, mais competentes, os melhores dos nossos mercados. Mas os brindes podem traduzir histórias reais de pessoas e empresas reais, com desafios, dificuldades, conquistas e o orgulho de cada passo. Isso encanta a inspira!

Quais histórias seus brindes já contaram? Quais histórias você quer contar?  


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *